segunda-feira, 14 de julho de 2008

COMPAZ- Ética Policial e a Vivência Socioambiental

Vivências de Arteterapia com alunos soldados da Polícia Militar do Espírito Santo

O Programa COMPAZ é um trabalho realizado com policiais militares, no Mosteiro Zen do Morro da Vargem- ES, em parceria com o Governo de Estado do ES e empresas da inicitiva privada. Nosso trabalho integrou as atividades que foram desenvolvidas no COMPAZ com oito grupos (pelotões) de alunos soldados, que totalizou aproximadamente 320 pessoas, durante dois meses.

O COMPAZ vem de encontro a uma demanda crescente na educação, ao possibilitar uma experiência diferenciada aos alunos soldados e por estar apoiado no pilar da interdisciplinariedade. Ele valoriza o saber gerado pelo trabalho conjunto das diversas especificidades, o que favorece uma reflexão sobre a necessidade de uma ética comum nos grupos, constituindo um olhar transdisciplinar do saber.

A arteterapia é uma prática que fundamenta-se num olhar mais comprometido com o ser humano e menos com as suas possíveis patologias, é uma abordagem que utiliza como principal matéria prima na busca de soluções para os conflitos internos do indivíduo, a criatividade, trabalhando tanto as habilidades de utilização do cérebro, ou seja, da consciência, quanto uma terceira via do conhecimento, a educação emocional e a personalidade criativa. A expressão artística pode expressar profundos níveis do inconsciente e auxiliar na organização dos pensamentos.

As associações que emergiram durante a vivência de arteterapia, tanto das representações produzidas com a modelagem em argila, quanto dos discursos que as envolviam, nos possibilitaram fazer alguns apontamentos no fechamento da vivência, como por exemplo, indicar pontos fortes e alguns aspectos que necessitavam serem desenvolvidos ou requeriam maior atenção por parte de cada grupo.
Uma grata surpresa foi a possibilidade de identificar entre os 320 participantes, alunos com habilidades artísticas natas, que nunca haviam feito aulas de arte, ou participado de oficinas dessa natureza e que demonstraram o desejo de continuar desenvolvendo a técnica.




A nosso ver o Mosteiro Zen Budista do Morro da Vargem mostrou ser um lugar privilegiado para a realização do COMPAZ. Nesse lugar o exercício de convivência com a diversidade é um fator amplamente trabalhado durante a estada dos alunos soldados. O exercício de compartilhar dos espaços físicos do mosteiro, o contato com a natureza e com uma cultura diversa da ocidental, o incentivo para a adoção de uma alimentação mais equilibrada e sadia, a experimentação de outras formas de agir, mesmo em ações rotineiras e simples como banho.

Esse trabalho reafirma a instauração do coletivo, fincando bases sólidas no campo da transdisciplinariedade, como explica Zigmunt Bauman no livro Vida líquida: “as habilidades técnicas precisam ser continuamente renovadas, nem é somente a educação voltada para o mercado de trabalho que precisa ocorrer ao longo da vida”, mas uma educação “para a cidadania” (BAUMAN, 2007, p. 165).

Consideramos que o COMPAZ complementa de forma singular a formação dos alunos soldados da Policia Militar do Espírito Santo. Este programa, aliado às ações desenvolvidas pelo CFA, possibilitarão que os alunos, futuros policiais, sejam despertados para temas transversais como a ética e o meio ambiente, potencializando um aprendizado que repercutirá não apenas nas suas ações como profissionais da segurança pública, mas como cidadãos.

Acreditamos que esta iniciativa visionária contribuirá para que a Polícia Militar do Espírito Santo tenha o destaque que merece, servindo como referência para as instituições de segurança de outros estados.

Renata Bomfim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oficina de Arteterapia no curso de saúde coletiva da UFES, no Hucam (prof. Dr.ª Renata Bomfim)

Realizamos uma intervenção criativa junto aos alunos do curso de Saúde coletiva da UFES , a  convite da professora Dr.ª Marluce  Mechelli ...