segunda-feira, 26 de maio de 2014

Dicas para manter uma boa memória: a neuróbica (por Renata Bomfim)

Conheça a nossa
OFICINA DA MEMÓRIA
Olá amigos, 

Segundo a Mitologia grega a titã Mnemósine (personificação da Memória) é filha de Urano (Céu) e de Gaia (Terra). Essa deusa é a mãe das nove musas, o seu pai é Zeus, Deus dos deuses: Calíope (Poesia Épica), Clio (Historia),Érato (Poesia Romântica), Euterpe (Música), Melpômene (Tragédia),  Polímnia (Hinos),   Terpsícore (Dança), Tália (Comédia), Urânia (Astronomia). Mnemósine era aquela que protegia o ser do esquecimento representado pelas águas do rio Lete (que passava bem no centro da terra dos mortos, o Tártaro). As almas que iriam reencarnar bebiam das águas desse rio, ou se banhavam nelas para esquecer da vida anterior.

Bem, sabemos que os mitos contam histórias verdadeiras sobre a nossa realidade interior. E não é verdade que uma boa memória é responsável por magníficas produções? Não é a cultura um acervo dessa memória universal, que nos lega musicas, danças, histórias? Enfim, os problemas de memória afetam bem mais que a lembrança de alguns acontecimentos pessoais vividos, eles afrouxam  os vínculos comuns que nos unem socialmente, e estruturam a nossa identidade social.

Todos os indícios de problemas relacionados à memória devem ser investigados, atenção! Não menospreze os sintomas, consulte a um especialista. 

Mas, podemos contribuir para com a saúde da nossa memória com alguns exercícios simples, que podem, e devem ser inseridos na nossa vida cotidiana. Vale destacar que a medicina contemporânea vem derrubando preconceitos sobre o envelhecimento. Sabemos, por exemplo, que no nosso cérebro as células continuam sendo geradas independente da idade. Parte dos problemas de memória não se deve à morte dos neurônios, antes, a má conexão entre eles, ou seja, a redução do número das dendrites (prolongamentos ramificados das células nervosas que recebem e processam as informações das outras células nervosas, formando a base da memória). Essa dificuldade de conexão (sinapses) podem dificultar, tanto o registro de novas memórias, quanto, a recuperação das memórias antigas.

A neuróbica, palavra que alude ao exercício físico, propõe algumas práticas para manter o cérebro ativo, evitando a perda da memória e fortalecendo as conexões (sinapses). Ela objetiva, também, que outros padrões associativos sejam criados. 

O NOSSO CÉREBRO GOSTA DE NOVIDADES












Reagimos ao inesperado, ao inusitado. Estamos projetados, como espécie, para tal. Mas, a vida contemporânea incentiva, muito mais, a adoção de uma rotina metódica, e "tranquila", do que de uma vida criativa, "menos cômoda", tanto que algumas vezes nos pegamos vivendo como se estivéssemos "no automático".

Ao reagirmos a uma novidade, a atividade cortical aumenta consideravelmente em variadas partes do cérebro, fortalecendo as funções sinápticas. Esse é o princípio da Neuróbica: exercitar o cérebro oferecendo-lhe novidades: uma nova música, atividades variadas que geralmente você não faria, como aprender um novo idioma, aprender a pintar, a bordar, a fazer mosaico, aprender a tocar um instrumento. Mas, toda essa mudança salutar pode começar com ações muito simples, como por exemplo, exercitar os sentidos (visão, audição, tato, olfato, paladar). Todos os nosso sentidos desempenham um papel importante na nossa memória, e podem desencadear reações emocionais,um exemplo simples é que podemos nos lembrar, por meio de um cheiro, de uma determinada situação pela qual passamos, ou de alguém. 

A interação com outras pessoas é um forte antídoto contra a perda da memória, pois, impacta grandemente a saúde geral do nosso cérebro ao produzir múltiplos estímulos. Então, como prometi, seguem as dicas para manter o cérebro "malhado", e a dica mais importante de todas, a meu ver: EXERCITE O AMOR E NÃO ESQUEÇA DE SER FELIZ!"

1- MISTURE OS SENTIDOS EM VARIADOS CONTEXTOS: como se vestir com os olhos fechados, ou fazer a refeição em silêncio, sentindo a textura dos elementos, o sabor.
2- ATENÇÃO PLENA: ver fotos de cabeça para baixo faz com que seu cérebro se esforce para entender a imagem, para faze-la ter sentido, é uma dica fácil, não?
3- FAZER DAS ATIVIDADES ROTINEIRAS ALGO NÃO-TRIVIAL, OU SEJA, UMA NOVIDADE: você pode pegar um caminho diferente para ir ao trabalho, frequentar a feira livre, ao invés de ir ao supermercado.












As crianças são ótimas professoras no quesito aprendizagem. Notem como elas são curiosas, inquietas, como se interessam em aprender, conhecer, e desejam o novo, o diferente. Bem, acredito que este espírito desperto é um dos melhores remédios para uma boa memória, talvez por isso o Cristo tenha dito que precisamos "nascer de novo". Esse renascimento, já é assunto para uma próxima conversa, mas, certamente é algo que Mnemósine deve ter ensinado para as suas filhas, as musas, e elas estão aí (AS ARTES), quem quiser saber mais sobre isso, pergunte a elas. 
abraços dessa amiga, terapeuta e poeta
Renata Bomfim

ps: fonte da pesquisa:  Lawrence, C. K.;  Manning, R. Mantenha o seu cérebro vivo. Rio de Janeiro: Sextante, 2000.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oficina de escrita criativa (Vitória/ES)

Entrar em contato pelo e-mail:  renatabomfim2006@gmail.com