sábado, 16 de agosto de 2014

Vivência Socioambiental da Terra, ministrada pela poeta e arteterapeuta Dra. Renata Bomfim, completa 15 anos de existência, sendo oferecida a variados grupos

"Amo a terra
das entranhas ao infinito
e aos seus arabescos conflitantes
 divinamente pintados em aquarela"
(Renata Bomfim)

OLÁ AMIGOS, 
COMPARTILHO COM VOCÊS A ALEGRIA DE VER NOSSO 
TRABALHO COMPLETAR BODAS DE CRISTAL. 

A Vivência Socioambiental da Terra nasceu em 2000, quando eu ainda era estudante de artes na Universidade Federal do Espírito Santo. Ao participar do Programa Universidade Solidária, do Governo Federal, eu e e mais nove estudantes de cursos variados fomos enviados para desenvolver trabalhos em uma cidade do interior da Bahia chamada Macajuba. A dificuldade de conseguir tintas, pincéis, papéis, etc, nos levou a buscar conhecer o potencial da região com relação aos materiais. Soube então que havia uma fabrica de telhas próxima, e que poderíamos utilizar a argila para desenvolver as atividades, inicialmente, com as crianças e adolescentes.

O local escolhido para essa oficina foi um coreto que ficava no centro da cidade. Para nossa surpresa, além das crianças e adolescentes apareceram pessoas de variadas idades. Pela primeira vez eu vi a força desse trabalho, tanto o seu potencial simbólico, quanto de unir o grupo, de fazê-los compartilhar experiências, de mostrar a poética que, muitas vezes, o nosso corpo esconde, as mãos por exemplo. Depois dessa experiência vieram muitos grupos e a minha formação foi totalmente direcionada para o campo da saúde mental. 
Agradeço a Deus a honra que me concede de trabalhar com pessoas. 

Nesses 15 anos, a  VIVÊNCIA SOCIOAMBIENTAL DA TERRA já foi ministrada para mais de duas mil pessoas, entre elas crianças, adolescentes, empresários, gestores, professores, policiais, médicos, e muitos outros grupos aceitaram a proposta de pensar a sustentabilidade, a vida, a morte, as emoções, os desejos, a partir da modelagem desse material privilegiado, sagrado: A TERRA. Só no Mosteiro Zen Budista, em Ibiraçu, a Vivência da Terra é desenvolvida, desde 2008, para variados grupos, especialmente no Programa Zenzinho, com estudantes da rede pública estadual do Espírito Santo, e no Programa COMPAZ, com policias militares, civis e bombeiros do Estado do Espírito Santo 
(ver depoimento)


"Ter participado da "oficina/ vivência de arteterapia" foi uma experiência um tanto diferente. Sou apreciador de música, cinema e literatura. São formas de arte bem acessíveis e mais difundidas. Em arteterapia, produzir uma "escultura" foi interessante, uma vez que minha atenção se voltou totalmente para a obra que eu estava fazendo. Nem ao menos tive a curiosidade de olhar ao redor para ver o que os demais estavam produzindo... Nem mesmo algumas fotos que eram tiradas aleatoriamente tiravam minha atenção. Foi um bom exercício de concentração. 
Escutava ao fundo histórias contadas pela professora Renata, uma espécie de trovadora. Assim o ouvido se mantinha nela e o resto na escultura. Quanto ao que eu produzi, revelou muito sobre a minha pessoa, sobre lugares que gosto de estar e o que gosto de fazer nos momentos de folga. A escultura que produzi me trouxe boas recordações. 
O local em que a atividade foi desenvolvida foi outro fator muito bom. O fato de estar praticando a atividade dentro de uma reserva de mata atlântica, numa casa de arquitetura oriental, no alto de uma montanha, com uma temperatura agradável e uma vista bacana foi um diferencial" (Sd Theotonio Silva de Oliveira- 3º pelotão) 


Agora, tenho a felicidade de compartilhar essa reflexão com os cuidadores e os acolhidos das comunidades terapêuticas do ES, bem como, de implentar oficinas terapêuticas nesses serviços com outras expressões da arte como a pintura, a poesia, o movimento. Agradeço a cada participante da Vivência a confiança, recebam meu abraço carinhoso. Enfim, nas bodas de cristal da Vivência Socioambiental da Terra sou eu que ganho o presente, pois essa trajetória dá um sentido especial a minha vida. 

Dra. Renata Bomfim


Segue o Programa Globo Repórter que fala sobre a Mata Atlântica capixaba e nele vocês verão o PROGRAMA ZENZINHO, do Mosteiro Zen Budista de Ibiraçu, do qual sou educadora ambiental desde 2008. A Vivência socioambiental da terra também faz parte desse Programa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oficina de escrita criativa (Vitória/ES)

Entrar em contato pelo e-mail:  renatabomfim2006@gmail.com