quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Saúde mental e adolescência (Drª Renata Bomfim)

O estresse excessivo gera consequências físicas e psicológicas semelhantes em adolescentes e adultos. Ansiedade, depressão, angústia, dores de cabeça e/ou abdominais, tensão muscular, entre outras são sintomas conhecidos de muitas pessoas. Há, ainda, adolescentes que apresentam doenças crônicas que geralmente são agravadas pelo estresse excessivo, as pessoas asmáticas são um exemplo. O estresse excessivo e permanente gera  desequilíbrio no organismo e altera o estado natural de seu funcionamento.
 O adolescente, em especial, vê-se naturalmente tendo que lidar com muitas mudanças, ele passa por uma série de mudanças e processos de adaptação, próprios da transição da infância para a adolescência, que resultam em transformações do corpo e alterações hormonais, passando por fatores sociais como mudança de escola, de casa, separação dos pais, acidentes, etc., que fazem com que o estímulo gerado pela descarga de adrenalina evolua causando o desgaste do organismo e levando o corpo a um estado de exaustão que compromete a sua  capacidade de adaptação ou reequilíbrio. É bom que o adolescente possa contar com um cuidado que contemple estratégias de educação em saúde,  assim eles podem compreender o sentido do tratamento aderindo ao mesmo. 

Quando recebo adolescentes no consultório busco identificar os fatores estressores que mais os prejudicam e trabalhar atividades que os levem a desenvolver habilidades sociais e autonomia para que possam sentir segurança e confiança. 

O nosso programa terapêutico recebe muitos estudantes pré-vestibulandos e outros adolescentes que, por variados motivos, não conseguem acompanhar o ritmo de estudos propostos pelas escolas e cursinhos. A depressão, a síndrome de pânico, etc., fazem com que fiquem algum tempo afastados e, infelizmente, nem sempre em tratamento. Quando necessário, atuamos em parceria com psicólogos e psiquiatras que formam uma rede de atenção capaz de ajuda-los.

Técnicas expressivas da arteterapia, biblioterapia, meditação, florais, soulcollage, meditação, yoga, entre outras técnicas integrativas constroem um campo de possibilidades para o adolescente, para que esse se expresse e reconecte. 

Não existe fórmula mágica, cada adolescente é único e reage de  forma particular aos eventos da vida e às intervenções terapêuticas. Precisamos respeitá-los, escutá-los e apoiá-los para que superem paulatinamente os medos, dificuldades e construam uma forma de lidar com os desafios diários da vida.

Dr.ª Renata Bomfim (arteterapeuta)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grupo Terapêutico de leitura da obra "Mulheres que correm com os lobos" e vivências de Arteterapia (inscrições abertas)

Queridas, atenção, inscrições abertas.  Leitura e análise conjunta da obra "Mulheres que correm com os Lobos",  da terapeu...